04 fevereiro 2013

Vivendo e aprendendo


Tumblr_mf3e0alirq1rv9lmho1_500_large
Não sei lidar muito bem com as coisas e sou ansiosa demais. Sempre ouvi os outros dizerem pra eu ter calma, ser paciente e dar tempo ao tempo, mas tenho dificuldade em exercer essas pequenas tarefas, pois, sempre me perguntei “Até quando devo dá tempo ao tempo e porque essa droga de tempo não passa depressa?” a verdade é que o tempo não tem pressa, o tempo é paciente e tranqüilo. Depois que o tempo passou, enfim eu pude perceber isso. Contudo, as coisas não são tão simples quanto elas parecem ser, é fácil dizer tudo isso, mas é um tormento por essas atitudes em práticas principalmente quando as coisas começam a dá certo pra mim. Tudo anda tão lindo e tão certo que tenho medo de estragar toda essa magia com o meu jeito afobado de ser. Quando eu penso em tomar uma atitude, eu penso e repenso muito bem, sabe lá se eu não vou estragar tudo com essa minha lerdeza.  Sou dramática demais e todos que me conhecem sabem muito bem disso. O meu problema é que eu me importo demais e me preocupo demais com quem eu gosto e isso faz com que eu seja a chata da história. Tenho que parar de criar expectativas e aprender a ver a vida como uma dança, onde é preciso viver de acordo com a música que a vida toca pra mim, sem pressa, urgência e medo. Aos poucos tenho me adaptado a essa filosofia, mas sempre cometo deslizes e é natural, afinal, sou humana e estou aqui pra viver e aprender. Estava lendo um livro no ônibus um dia desses e lá havia a seguinte frase que me chamou a atenção “As coisas têm o valor que você dá a elas (...)” e é a mais pura verdade. Muitas vezes perco meu tempo dando valor a coisas inúteis e bobas, criando baboseiras na minha cachola e me alimentando de ilusões que no final sempre acaba me machucando. Talvez seja por isso que eu tenho medo de ver as coisas darem certo pra mim, pois tenho medo de estragar tudo com minha afobação ou acabar me iludindo com as situações, portanto eu preciso saber lidar de maneira correta com essa minha ansiedade e dificuldade em esperar as coisas se ajeitarem no seu devido tempo e espaço.
Reações:

4 comentários:

  1. Esse teu texto me lembro um trecho da música Paciência, do Lenine:

    "Mesmo quando tudo pede
    Um pouco mais de calma
    Até quando o corpo pede
    Um pouco mais de alma
    A vida não para..."

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Aiin que linda *-* adoro essa música e realmente ele consegui retratar um pouco do que eu escrevi aqui.
    Obrigada pela visita e volte sempre. Abraços :D

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do texto, Patricia. Bastante intimista.

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Anthony, volte sempre que quiser.
    Abraços :D

    ResponderExcluir