06 setembro 2011

Velha e conhecida companhia



Com passos lentos,
Sem pedir licença,
Entra devagar e sorrateira, mas quem seria?
Ora, solidão aquela velha companheira.


Não me sinto tão só, ao ver tua chegada,
Para exprimir o vazio em que me encontro
Resolvi preencher esse oco por meio de palavras.


Em meio as linhas tortas e convidativa,
Exponho nos mais simples versos
Partes de mim, parte do que sobrou de mim...
Partes de um "eu" vazio, frio e inconstante.


— Patricia c.
Reações:

0 esvaziaram-se:

Postar um comentário